Bárbara defendeu dois pênaltis e foi heroína da vitória do Brasil sobre a Austrália

 

Bárbara foi a grande heroína da vitória nos pênaltis da seleção brasileira sobre a Austrália na noite desta sexta-feira, defendendo duas cobranças após o empate em 0 a 0 no tempo normal. O posicionamento da goleira nos tiros de Katrina Gorry e Alanna Kennedy, porém, foi questionado pelas rivais.

 

Segundo as australianas, a heroína brasileira, que garantiu a classificação para as semifinais após a estrela Marta ter perdido seu pênalti, se adiantou, principalmente, na primeira defesa.

"Nós estivemos um pouco abaixo, mas certamente no primeiro (pênalti) ela estava jardas fora de sua linha", disse a técnica Alen Stajcic à "Fox Sports Australia". "Achei que, com a nova regra, você deveria receber um cartão amarelo por isso, mas ela não recebeu e burlou a regra o quanto pôde."

"Faz parte do jogo. Permitiram que ela se adiantasse e foi o que ela faz. Você não pode culpar o jogador por ir no limite em uma disputa por pênaltis. As pessoas em casa, provavelmente, viram melhor do que eu, então, provavelmente, estão em melhor posição para julgar do que eu estou", encerrou.

Bárbara virou heroína na quinta cobrança australiana, logo depois de Marta ter errado seu chute e ter deixado as rivais a um gol da classificação. Após a defesa no tiro de Gorry, a goleira do Brasil ainda defendeu o de Kennedy, fechando o placar da disputa em 7 a 6.

Para Bárbara, o erro da melhor jogadora da seleção e eleita cinco vezes consecutiva melhor jogadora de futebol feminino do mundo pela Fifa, aumentou sua responsabilidade. "A Marta não podia ser injustiçada. Ela é extraordinária e não seria correto ela ser julgada por esse episódio. Eu soube extrair forças para evitar essa situação e fui muito feliz naquele momento", disse.

A goleira disse que seu mérito deve ser dividido com o restante do grupo. "As meninas foram perfeitas. Se não fossem os sete gols, nós também não teríamos conseguido", acrescentou.